Ambientes de inovação

Economia criativa para transformar um país

Por 2 de Maio de 2018 Nenhum Comentário

CEO sul-coreano apresenta modelo de inovação e fomento no BH-TEC

Após anos apostando na exportação manufatureira, a próxima grande jogada da Coreia do Sul será no campo da economia criativa. É o que nos mostra o investimento do país em iniciativas como o Centro de Economia Criativa e Inovação de Daegu (CCEI). Para entender melhor este modelo, recebemos no BH-TEC o CEO do CCEI, Kyu-Hwang Yeon, na última terça (17).

O Centro foi criado em 2014, com o apoio da Samsung e do governo sul-coreano, para fazer frente ao que Kyu-Hwang chamou de “nova revolução industrial”. Com investimento direto, programas de mentoria, educação empreendedora e atuação enquanto incubadora, fomentando o relacionamento entre grandes empresas, startups e a universidade, o CCEI possui um campus em Daegu, a cerca de 230 km de Seul. Seguindo o exemplo de gigantes como a Google e Facebook, a ideia é gerar valor a partir de grandes ideias.

Enquanto anteriormente a inovação se apoiava em gerar vantagens competitivas e market share em produtos já bem estabelecidos no mercado, a era das “unicórnios” busca novos modelos e soluções de negócio. A convergência entre tecnologias como IoT, 5G, big data e AI ganham cada vez mais velocidade, alcance e impacto no mercado globalizado. É nessa onda que os novos empreendimentos sul-coreanos, apoiados pelo CCEI, querem focar.

Todo esse movimento é uma resposta ao contexto atual na Coreia do Sul. Apesar de ter mantido um índice de Produto Interno Bruto extremamente alto por muitos anos, há limites para o crescimento desta renda. A baixa natalidade no país, a acirrada competição com a China – em que hoje a Coreia do Sul já começa a perder – e o crescente desemprego para mão de obra especializada fazem com que o país busque novas alternativas.

O modelo sul-coreano
“Novos empregos, novos mercados, novos produtos”, é como Kyu-Hwang descreve os resultados esperados do CCEI. Combinando tecnologia, conhecimento em business e uma educação que contempla não apenas desafios do mercado, mas referências a arte e cultura, o campus do Centro em Daegu oferece o subsídio para tal desenvolvimento.

É papel do CCEI oferecer apoio a startups e também médias e pequenas empresas em seu campo de especialização. Organizar parcerias entre grandes corporações e empresas regionais, arrecadar fundos, estudar novos mercados, oferecer mentorias e cursos são suas principais atividades. Algumas das gigantes envolvidas no processo são a própria Samsung, a LG e a Hyundai, que investem e trocam conhecimento com as startups do Centro.

Hoje o CCEI funciona em um modelo híbrido, financiado pelo governo e pela Samsung, mas com operação privada e sem fins lucrativos. Seus primeiros anos já contam com 107 startups investidas, além de avanços na própria operação do Centro. Com um modelo “win-win” para as todas as partes envolvidas, e também identificando e satisfazendo das demandas do governo local, a autonomia do CCEI segue crescendo.

Já é possível perceber a transição de uma política “top-down” do governo para uma cultura “bottom-up”, com maior poder de decisão dos próprios empreendedores e pesquisadores para o que será fomentado e trabalhado. As parcerias se ampliam, com startups que se aliam a diversas outras companhias e o advento dos “social ventures”, negócios que se preocupam em resolver problemas da economia local.

Atuação internacional
Para fomentar o intercâmbio de novas ideias, o CCEI também estabelece cooperações internacionais – justamente para buscar o mercado global. “Se as startups se limitam à visão local, elas não alcançarão o sucesso,” explica Kyu-Hwang. Brasil, França e Índia são alguns dos parceiros do CCEI, que em nosso país atua junto à Anprotec, com o Programa de Promoção da Economia Criativa.

O programa brasileiro tem como objetivo identificar, selecionar e oferecer suporte a empreendimentos inovadores em áreas de interesse da Samsung. O CEO do CCEI ressalta que, assim como na Coreia do Sul, “queremos apoiar empresas que farão do mundo um lugar melhor. Não é só sobre dinheiro, mas sobre o propósito dos empreendimentos em que acreditamos”.

Inscreva-se para receber nosso conteúdo por e-mail.

Autor BH-TEC

O objetivo do Blog do BH-TEC é compartilhar, por meio das experiências dos nossos colunistas, informações inerentes a CT&I, que perpassam a rotina das empresas de base tecnológica e impactam a vida de todos nós. Bem-vindo(a) a essa brilhante viagem!

Mais posts de BH-TEC

Deixe um Comentário