Mercado

Quando vale a pena investir em moedas digitais?

Por 20 de Março de 2018 Nenhum Comentário

REUTERS/Benoit Teissier/Illustration

As moedas digitais se tornaram extremamente populares nos últimos meses. De empresas de tecnologia a petshops, o Brasil já conta com centenas de estabelecimentos que aceitam bitcoins como pagamento. Até funk sobre moedas digitais já foi lançado.
Deixando os boatos e brincadeiras de lado, muitas pessoas têm estudado o assunto a sério e pretendem começar a investir, mas não sabem como identificar as melhores oportunidades. No fim do mês passado, o entusiasta do assunto Felipe Fernandes participou do BH-TEC Talks dando algumas dicas de como direcionar da melhor forma suas aplicações. Confira algumas das dicas.

Como começar?

Se você ainda tem algumas dúvidas conceituais sobre como funcionam as moedas digitais e as transações virtuais, vale a pena ler o texto da Clarisse Simões sobre Blockchain (em inglês). No site Cointelegraph existe esta sessão explicando o que são os smat contracts, também em inglês. E este vídeo do Fernando Ulrich explica de forma mais didática o que é o bitcoin.
Para quem está mais por dentro, mas ainda não deu o pontapé inicial, aqui vai um passo a passo básico para começar a investir:

1. Comece abrindo uma conta em uma exchange brasileira.

2. Compre bitcoins. No Brasil, também existe a opção dos Litecoins, que proporciona uma transação para outras exchanges, pois tem uma taxa e velocidade de transação menores.
3. Não deixe muito valor na exchange. Essas instituições são intermediárias que podem ser hackeadas, ou mesmo mal intencionadas.

Tenha em mente que você não vai ficar rico!

Investimento em moedas digitais não é garantia de retornos volumosos. Até mesmo usar palavra “investimento” para esse tipo de transação pode ser um pouco equivocado, afinal, “investir” pressupõe uma garantia de retorno, e o que acontece com as criptomoedas está mais próximo de uma especulação.
O retorno financeiro pode ser, sim, interessante. Mas depende de muitos fatores e envolve muitos riscos. Em outras palavras, moedas digitais não são uma mina de ouro e o investidor deve incorporar esse pensamento antes mesmo de considerar realizar algum investimento em criptomoedas..

Cuidado para não “pagar a festa dos outros”

Evite comprar tokens quando a avaliação estiver nas alturas. Se o preço estiver subindo rapidamente, é provável que sofra uma grande queda em breve. Um bom exemplo é o bitcoin: quando a moeda passou por uma valorização acelerada, muita gente correu para comprar, imaginando que o valor seguiria aumentando na mesma proporção. No entanto, investidores menos experientes tendem a vender a moeda assim que ela mostra os primeiros sinais de queda, com medo de perder dinheiro. É aí que mora o risco da instabilidade: se muita gente vende ao mesmo tempo, o valor cai e quem investiu muito alto pode acabar no prejuízo.

Sobre avaliação de rendimento é melhor ter como base de comparação o valor em Satoshi ( 1 satoshi = 0.00000001 btc), pois como é uma fração do bitcoin fica mais fácil de avaliar o rendimento especifico do investimento, relativizando o efeito da variação em relação ao dólar.

Saiba avaliar o token

Quando uma empresa lança um ICO (Inicial Coin Offer, ou seja, a oferta pública de investimento), normalmente um documento é publicado com todas as informações sobre o token: o que é, que problema resolve, o time envolvido, a quantidade de moedas e como será a questão do blockchain. Junto a esse whitepaper costuma ser divulgado o roadmap do token – ou cronograma de crescimento.

É importante verificar se a empresa em questão já tem um produto no mercado, sendo comercializado. Isso torna o investimento mais confiável, e permite que você avalie se esse produto realmente tem demanda no mercado para que a empresa cresça. Averiguar a trajetória profissional da equipe responsável também ajuda – afinal, você está confiando seu dinheiro nelas. Se essas informações não estiverem públicas, fuja: quem não é transparente provavelmente está escondendo algo.

Busque tokens subvalorizados

Moedas que já são muito valorizadas dificilmente sofrerão grandes altas com o passar do tempo. Busque por aquelas que são boas oportunidades, considerando os critérios acima, mas que ainda não estão recebendo investimentos altos. Nesses casos, é importante pensar a longo prazo, confiando mais no roadmap que em pequenas oscilações de preço.

Uma boa dica é verificar, no site coinmarketcap, a especificidade do token. Junto a uma análise do circulating supply (ou seja, a quantidade máxima de moedas criculantes disponíveis.

Somando-se a análise de circulating supply, é necessário investigar o ramo de negócio da empresa e seu possível impacto no cenário atual. Ter noção dos concorrentes, Market share e stakeholders complementam a análise de valor de um token.

Por isso, nem sempre tokens com menor preço significam maior ganho em potencial. Um exemplo claro é Ether (ETH), token do Ethereum, que iniciou 2017 na casa dos dez dólares e terminou o ano acima dos setecentos dólares.

Esteja preparado para perder

Todo investimento tem dois resultados possíveis – ganhar ou perder. Um investidor nunca deve aplicar um dinheiro que ele não possa perder completamente.

Para evitar decisões equivocadas no calor do momento, é importante determinar, antes mesmo de começar a investir, qual será o ponto de entrada e o ponto de saída. Tenha clareza dos motivos pelos quais decidiu iniciar um investimento e, da mesma forma, por que planejou sair em um determinado ponto.

Garanta o lucro!

A ganância é o pior erro do investidor. Estabelecer o ponto de saída antes de iniciar o investimento é importante para evitar ansiedades. O trade perfeito não existe. Se você vender o token e amanhã ele for valorizado em 50%, paciência. O contrário também poderia acontecer, e é melhor ter o dinheiro no bolso – afinal, esse é o objetivo de fazer um investimento. Fazer realizações parciais ao longo do tempo, uma vez que o lucro já aconteceu, é uma
estratégia segura. Não vão faltar outras oportunidades de investimento.

Cuidado com o marketing excessivo

Se uma oportunidade parece muito boa para ser verdade, provavelmente não é verdade. Mais importante que o marketing é a avaliação cuidadosa da empresa e da tecnologia que ela oferece. Se duvidar da segurança do investimento, é melhor não fazer.

Felipe Fernandes: Engenheiro de computação pelo CEFET-MG, com graduação Sanduíche pela Univesidade de Liverpool. Mestrando em Aprendizado de Máquina aplicado à predição de jogos de futebol. Também é trader de commodities. Entusiasta do blockchain.

Autor BH-TEC

O objetivo do Blog do BH-TEC é compartilhar, por meio das experiências dos nossos colunistas, informações inerentes a CT&I, que perpassam a rotina das empresas de base tecnológica e impactam a vida de todos nós. Bem-vindo(a) a essa brilhante viagem!

Mais posts de BH-TEC

Deixe um Comentário