Empreendedorismo

Comunicação interna e o que isso tem a ver com branding

Por 1 de dezembro de 2017 Nenhum Comentário

Com a chegada do fim de ano, o planejamento estratégico entra inevitavelmente na pauta da maioria das empresas, o que também significa pensar as ações e investimentos em comunicação e marketing. Não raras as vezes, somos chamados neste período para desenvolver propostas e participar dos novos projetos do ano que surge.

O que nos chama a atenção, no entanto, não são as ações de marketing planejadas para as empresas se comunicarem com o mercado. Entra ano e sai ano, temos que inserir na pauta das organizações um mero detalhe, sempre renegado a segundo plano: a comunicação com o público interno. As empresas pensam em estratégias de branding, de relacionamento com o cliente e esquecem que a marca se constrói, em primeira instância, dentro de casa.

O fim/início de ano é um ótimo momento para aparar essas arestas e alinhar os objetivos, as metas e o discurso da organização com seu público interno. Parece óbvio, mas muitas empresas não fazem isso. E, naturalmente, o sentido do trabalho vai perdendo significado para as pessoas mais importantes da empresa, os colaboradores. Cada vez mais as pessoas estão no centro das estratégias organizacionais e a boa comunicação com o público interno é parte disso.

Vou dar um exemplo de comunicação interna e externa bem feita. Quando trabalhei na Fiat, antes de qualquer lançamento para o mercado, a empresa tinha como praxe realizar o lançamento interno. Na prática, quando os novos veículos já estavam estampados na mídia, os colaboradores já sabiam todos os detalhes técnicos do lançamento. E, mais que isso, estavam preparados para sanar dúvidas e defender a marca. Orgulho e sentimento de pertencimento são valores construídos no dia a dia. E são pilares para qualquer estratégia de branding.

Por outro lado, também já vi colaboradores “derrubarem” as estratégias de marketing e comunicação com o mercado com comentários negativos. Empresas com maiores vulnerabilidades de imagem, como as que causam impactos ambientais, são especialistas em cometerem esse erro. Não adianta nada distribuir comunicados para a imprensa, comunidades e a sociedade, se os próprios colaboradores são os primeiros a falar mal da organização. Não há comunicação que se sustente.

Se sua empresa tem uma boa estratégia de comunicação interna, o que significa um processo bem estruturado, canais de diálogo abertos e definidos, com fluxos contínuos e claros, ótimo. Se não tem, passou da hora. Aproveite este fim de ano para ajeitar isso. Pode ter certeza de que os investimentos serão otimizados quando se conquista o público interno e ele se torna o defensor da marca. E o impacto vale tanto para as mídias digitais como para as conversas que se iniciam no corredor.

Inscreva-se para receber nosso conteúdo por e-mail.

Autor Flavia Fonseca

Empreendedora, doutoranda e mestre em Ciência da Informação (UFMG). É especialista em Gestão de Negócios (FDC), em Comunicação e Gestão Empresarial (PUC Minas) e graduada em Comunicação Social/Jornalismo (PUC.Minas). Fundadora da Tinno, agência de marketing de conteúdo para empresas de tecnologia e inovação, acredita no empreendedorismo como alavanca de desenvolvimento social.

Mais posts de Flavia Fonseca

Deixe um Comentário