Ambientes de inovaçãoDesenvolvimento e Inovação

Os 30 anos da Anprotec: uma aventura de transformação

Por 17 de outubro de 2017 Nenhum Comentário

Ao longo dos últimos 30 anos, desde o surgimento da Anprotec, em 1987, muito mudou na nossa sociedade, na percepção dos fundamentos do processo de desenvolvimento econômico e social na Sociedade do Conhecimento. Nestas mudanças de percepção do papel da inovação e do empreendedorismo no processo de desenvolvimento, a Anprotec teve e tem um papel central, de protagonista desta transformação. Vivemos ao longo destes anos uma mudança cultural muito significativa, em todas as esferas sociais, nas Universidades, nas empresas, nos governos e na própria sociedade.

Neste ano de 2017, ao completarmos 30 anos, vemos o passado com a certeza de temos contribuído neste processo de mudança, em especial cultural. Mas falta muito por fazer. Neste contexto, podemos e devemos visualizar nosso futuro. Ele se apresenta como uma evolução natural de uma bonita trajetória de uma entidade que, a partir do empreendedorismo inovador, se transformou em uma grande e complexa entidade, de classe mundial, referência nacional e internacional na nossa área de atuação, com enorme potencial para continuar norteando e construindo, em conjunto com outros atores sociais relevantes, o desenvolvimento da nossa Sociedade.

A transformação em curso, que somos protagonistas, que tanto nos desafia e estimula, deve seguir sendo alicerçada nos nossos referenciais, lembrando e honrando um passado de sucesso em muitas frentes e conquistas, projetando um futuro promissor, agregando o novo, as novas visões e contribuições, que vem da sociedade e de dentro, do mais profundo de nossa entidade, de todos nossos associados, de todas as redes a que estamos conectados, de todas as regiões e estados do Brasil, da América Latina e do mundo. A memória do passado é a energia para a construção do futuro.

Em termos concretos somos, ao completar estes 30 anos, mais de 350 associados que representam o que de melhor nosso País gerou em termos de ambientes de inovação, sejam mecanismos de geração de empreendimentos (como incubadoras e aceleradoras), sejam áreas de inovação (como Parques Científicos e Tecnológicos, Distritos de Inovação e Cidades Inteligentes). Desenvolvemos inúmeras atividades, publicações, projetos, eventos, premiações, missões, articulações, cursos, rodadas de negócios, etc. Envolvendo todas as regiões do Brasil, buscando reduzir as assimetrias que nos caracterizam, tanto inter como intra regionais.

Nos últimos anos, visualizando o futuro, emergem novos conceitos que povoam os ambientes de inovação, expandindo as possibilidades e ampliando o leque de mecanismos de geração de empreendimentos e das áreas de inovação, até então mais focados nos modelos iniciais das incubadoras e parques tecnológicos.

 Os Ambientes de Inovação envolvem duas dimensões: as Áreas de Inovação (nome adotado internacionalmente pela IASP) e os Mecanismos de Geração de Empreendimentos. Cada uma delas possui diferentes tipos de Áreas ou Mecanismos, que atuam com alto grau de interação. Assim, os Parques Científicos e Tecnológicos são um dos tipos possíveis de Áreas de Inovação, e as Incubadoras e as Aceleradoras são alguns dos tipos de Mecanismos de Geração de Empreendimentos.

Como ecossistema de inovação entendemos o conjunto dos atores sociais e econômicos, ambientes de inovação, bem como instrumentos que viabilizam e dinamizam espaços e territórios inovadores e empreendedores. Os ecossistemas de inovação são propícios ao desenvolvimento de novas tecnologias, inovações e atração de pessoas com talento, novas ideias e capital, onde as competências tenham espaço para se desenvolverem. Esse círculo virtuoso gera processos de inovação sistêmica de larga escala, global e de alto impacto econômico e social.

Neste sentido, o movimento do empreendedorismo inovador no Brasil, tendo a Anprotec como um dos seus protagonistas, está vendo surgir novos atores, espaços e formas de atuação dos mecanismos que estimulam o surgimento de empresas inovadoras e startups.

Neste novo cenário, a proposta da Anprotec é, como previsto à época de sua fundação, 30 anos atrás, representar não apenas as incubadoras de empresas, como tudo começou, mas toda e qualquer entidade que tenha como propósito apoiar a geração e o crescimento de empreendimentos inovadores no Brasil. Assim a entidade se renova e acolhe novos mecanismos e áreas de inovação, ampliando as possibilidades de interação e construção de ecossistemas de inovação robustos e modernos. Ecossistemas com o potencial de mudar o Brasil para melhor e para todos.

Autor Jorge Audy

Presidente da Anprotec. Assessor de Ciência, Tecnologia e Inovação da PUCRS.

Mais posts de Jorge Audy

Deixe um Comentário