UFMG recebe simpósio sobre oportunidades de estímulo à inovação

Por 19 de novembro de 2018 Sem categoria Sem Comentários

No último ano, o depósito de patentes de invenções no Brasil cresceu 5,4% – segundo dados do Instituto Nacional de Propriedade Industrial (Inpi). Do total de 5.480 depósitos, Minas Gerais ganha destaque com a produção de patentes da UFMG, que figura no terceiro lugar do ranking.

Para compartilhar as iniciativas do ecossistema de inovação e transferência tecnológica, o Simpósio Trandisciplinaridade e Inovação foi realizado na última semana (12) na UFMG. Promovido pelo Parque Tecnológico de Belo Horizonte – BH-TEC – e pelo Instituto de Estudos Avançados Transdisciplinares – IEAT UFMG – o evento integrou dirigentes de grandes instituições com pesquisadores, professores e estudantes.

Com a participação dos professores Estevam Las Casas, do IEAT UFMG, Roberto Bigonha, do BH-TEC, e Gilberto Ribeiro da Coordenadoria de Transferência e Inovação Tecnológica – CTIT UFMG –, a primeira mesa-redonda trouxe Paulo Adriano, do Biotechtown, e Eduardo Soares, da Biominas Brasil. Ambas as instituições atuam em parceria com projetos da Universidade para o desenvolvimento de produtos e negócios nas áreas de Biotecnologia e Ciências da Vida. “Mesmo com a conexão universidade e empresa, com a regulamentação para que as pesquisas se transformem em startups e que essas startups sejam incentivadas a colocar seus produtos no mercado, o setor de Ciências da Vida confere desafios ainda mais ousados do que outras áreas em função principalmente da necessidade de altos investimentos e elevado risco tecnológico ”, ressaltou Paulo Adriano.

Roberto Bigonha complementou à discussão destacando o papel do Parque Tecnológico de Belo Horizonte para o ecossistema de inovação e de transdisciplinaridade: “interação é a palavra-chave. As empresas buscam isso no parque e nosso objetivo é apoiar a pesquisa científica e tecnológica hospedando empresas e centros de tecnologia advindos da universidade. É nesse espaço que as trocas e o fomento à inovação acontecem”.

No segundo momento, Jorge Mário Campagnolo, do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações – MCTIC –, Evaldo Vilela, da Fundação de Amparo à Pesquisa – Fapemig –, e Janayna Bhering, da Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa – Fundep –, abordaram oportunidades de captação de recursos para projetos de inovação. Campagnolo destacou mecanismos de incentivo à inovação tecnológica chancelados pelo Marco Legal da C,T&I que traz a expectativa de desburocratizar as atividades de pesquisa e inovação no país, aproximando instituições científicas e tecnológicas (ICTs) do setor produtivo e alavancando o desenvolvimento econômico e social.

Também foi dada ênfase à Lei do Bem (Lei nº 11.196/2005) que concede incentivos fiscais para empresas realizarem Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (P,D&I), e que, somente em 2017, promoveu investimentos da ordem de R$10 bilhões. A Lei estimula, ainda, a parceria entre universidades e empresas, permitindo o fomento ao desenvolvimento conjunto de soluções tecnológicas.

Campagnolo também ressaltou a Rota 2030, um novo regime tributário para as montadoras de veículos no Brasil que estimula investimentos em Pesquisa e Desenvolvimento de produtos e tecnologias. O programa determina regras para a produção de veículos em termos de economia de combustível, segurança e renovação da matriz energética para, em contrapartida, as empresas receberem concessões de descontos tributários e fiscais. “O país precisa que as empresas façam pesquisa e elas precisam desse ecossistema para ficarem mais competitivas”, afirmou Campagnolo sobre a importância das parcerias público-privadas para o empreendedorismo tecnológico.

Prof. Roberto Bigonha, presidente do BH-TEC

Na primeira mesa-redonda: prof. Gilberto Ribeiro, da CTIT UFMG; prof. Estevam Las Casas, do IEAT UFMG; dr. Eduardo Soares, da Biominas Brasil; prof. Roberto Bigonha, do BH-TEC; Paulo Adriano, do BiotechTown

Prof. Jorge Mário Campagnolo, Diretor de Políticas e Programas de Apoio à Inovação do MCTIC

Prof. Evaldo Vilela, Presidente da Fapemig

Janayna Bhering, Gerente de Negócios e Parcerias da Fundep

Deixe uma Resposta