Startup mineira transforma “curtidas” em financiamento para ações sociais

Por 27 de março de 2017 Sem categoria Sem Comentários
Imagem Curtida.Social

A spin-off conecta projetos de ação social e entidades apoiadoras em um esquema de vantagens mútuas.

Já está em funcionamento a plataforma Curtida.Social, uma espécie de crowdfunding que opera por meio de redes sociais como Facebook e Youtube. A iniciativa usa do controverso potencial transformador da internet para converter engajamento online em ações concretas.

Fundada por sócios da Enacom, empresa residente do BH-TEC, a spin-off conecta projetos de ação social e entidades apoiadoras em um esquema de vantagens mútuas. Na prática, qualquer pessoa física pode cadastrar um projeto, que é então apresentado a uma empresa interessada em ajudar.

Uma vez adotada pela entidade apoiadora, ação é divulgada pela startup na forma de post no Facebook, e pode ser expandida para o Youtube, Twitter ou Instagram. Além disso, o projeto fica disponível no site da plataforma (www.curtida.social). A partir daí, o proponente deve ampliar a divulgação da campanha na rede, buscando atingir um mínimo de engajamento estipulado para que a ação possa receber o aporte financeiro do apoiador.

Engajamento valioso

Para colocar a ideia em prática, a Curtida.Social estipulou valores para calcular um engajamento mínimo necessário, de acordo com a meta financeira estabelecida pelo proponente da ação social. É o que explica Newton Velloso, Diretor de Marketing e co-fundador da startup. “Em um exemplo hipotético, se uma empresa precisa de 500 reais, estipulamos que ela precise alcançar 2000 pontos de engajamento para receber o dinheiro”, exemplifica Newton.

O empreendedor explica que alguns tipos de interação contam mais pontos que outros. “Uma visualização completa do vídeo, por exemplo, vale até 10x mais que uma curtida. A ideia é que as pessoas se engajem ao máximo para que a ação alcance o efeito esperado”, explica.

Projeto já mostra primeiros resultados

No primeiro mês da plataforma, já foram impulsionadas ações sociais apoiadas pelas empresas Siteware (que desenvolve sistemas de gestão), Waycarbon (inovação em sustentabilidade) e pela própria Enacom (otimização e modelagem numérica).

Os propósitos são diversos: em uma dessas ações, um gatil recebeu verba para reforma e vacinação dos animais resgatados. Em outra, o aporte foi usado para aquisição de material para o Selex, ação da UFMG para integração profissional de jovens em conflito com a lei. Já uma terceira ação levantou investimento para a aquisição e doação de roupas para  meninas afastadas de seus lares e acolhidas no Lar Batista.

Para Luiz Marques, o proponente da ação realizada em prol do Lar Batista, a motivação para cadastrar o projeto veio da experiência como apoiador voluntário da instituição. “Vejo o quanto falta para essas crianças. Todo o vestuário destas meninas depende de doações, e a curtida.social me ajudou a buscar o suporte financeiro de um modo moderno e rápido”, afirma.

Iniciativa híbrida

Os fundadores Douglas Vieira, Gustavo Lacerda e Newton Velloso definem a Curtida.Social como uma empresa de “marketfunding” – uma mistura entre marketing e crowdfunding. Isso porque a contrapartida para a empresa apoiadora é a divulgação da marca junto à campanha nas redes sociais, aumentando sua visibilidade.

Como colegas de trabalho na Enacom, os sócios se inspiraram na tradição de apoio a projetos sociais da empresa. “Entendemos que temos essa obrigação de devolver parte do que ganhamos para a sociedade e de ajudar a fomentar o empreendedorismo. Além disso, todos ganhamos com um ecossistema forte”, comenta Newton Velloso. Para ele, muitas empresas desejam apoiar ações sociais mas não sabem como – e esse é um dos buracos que a Curtida.Social procura cobrir.

Os últimos detalhes do modelo de negócios da plataforma foram refinados em um curso de inovação da Universidade de Stanford, na Califórnia, organizado pelo MGTI – uma representação das empresas de TI de Minas Gerais. Foram aprimoradas a estratégia de entrada no mercado (beach head) e o modelo financeiro adotado.

Um ponto fundamental, segundo o Diretor Douglas Vieira, é a motivação do projeto: “A Curtida.Social foi criada para conectar pessoas e empresas do bem. Nossa intenção é gerar grande impacto social a partir de pequenas ações, possibilitando que cada um mude o mundo ao seu redor”.

Como participar

Os projetos sociais cadastrados devem se enquadrar em um dos objetivos de desenvolvimento sustentável da Organização das Nações Unidas (ONU). O patrocínio deve ser voltado para melhorias que contemplem instituições ou indivíduos, com impacto social. O cadastro é feito via internet (www.curtida.social) e deve incluir um vídeo, uma foto ou um texto explicando o projeto e a meta a ser alcançada. Já para empresas que querem apoiar uma causa social, basta realizar o cadastro no site da plataforma e escolher qual campanha desejam apoiar.

Deixe uma Resposta